A Honda mergulha oficialmente no segmento de troca de baterias. Chama-se "Honda Power Pack Exchanger e:" a estação de troca de baterias da fabricante japonesa, que inicia as vendas e comissionamentos (por enquanto em casa) com a entrega da primeira unidade ao Gachaco, um consórcio dedicado à troca de baterias.

Agora, começará a produção em série da infraestrutura, capaz de recarregar simultaneamente várias unidades da bateria Honda Mobile Power Pack e: (MPP e:), além de prometer uma troca "fácil" – para usar a mesma palavra da montadora – para quem pilota motocicletas ou usa outros produtos compatíveis com seus acumuladores.

Galeria: Estação de troca de bateria - Honda

Do design à nuvem

AHonda diz que desenvolveu uma estação com um design externo que se integra perfeitamente com a paisagem urbana e usa o sistema Power Pack Cloud para gerenciar centralmente todas as informações necessárias para um serviço de compartilhamento de bateria na nuvem.

Os compartimentos superior e inferior têm um ângulo que facilita a inserção e a remoção da bateria. O dispositivo começa a carregar assim que a bateria é inserida nos slots. O usuário só precisa de um cartão para começar a reabastecer. O sistema de nuvem lida com tudo, desde a substituição até o pagamento.

"Além disso, a Honda tem buscado conveniência e facilidade de uso tanto para empresas de serviços de troca de baterias quanto para usuários de produtos de mobilidade eletrificados."

Índia é o laboratório

Através da subsidiária Power Pack Energy India (HEID), a empresa já iniciou um serviço de compartilhamento de baterias para táxis elétricos triciclos, que utilizam a estação de troca de baterias.

Os tuc-tucs também são os protagonistas da iniciativa de segunda vida lançada pela Audi, que usa acumuladores no final do primeiro ciclo para alimentar pequenos veículos elétricos no subcontinente indiano.